Alunos do curso de Direito participam de Júri Simulado

fachada_Unaerp (400 x 600)Vestir a beca, utilizar a arte da oratória para apresentar argumentos de defesa ou de acusação, na busca de sensibilizar os jurados a respeito de uma tese. Este é o cenário de um Júri, um tribunal onde cidadãos decidem sobre a culpabilidade ou não de acusados de crimes dolosos contra a vida. Para exercitar este instrumento jurídico, o curso de Direito promoveu recentemente sessões de Júri Simulado com alunos da primeira etapa do curso. A experiência permitiu a eles uma mostra dessa prática jurídica, vivenciando os conhecimentos técnicos de Introdução ao Direito.
A estudante Thalita Oliveira confessou que o nervosismo tomou conta nos dias que antecederam a atividade, mas que foi uma sensação maravilhosa participar do simulado. “Garanto que foi um aprendizado imenso, espero que seja o primeiro de muitos (júris)”. Para Izadora Braz dos Santos, que atuou na defesa dos réus, foi fácil discursar para a plateia. “Tinha propriedade do assunto, mas confesso que fiquei nervosa, com medo de falar algo errado. Foi uma experiência ótima e me sinto preparada para as próximas”.
O tribunal de Júri, composto por defensoria, promotoria e os jurados – selecionados entre os integrantes da plateia formada por alunos de Administração – teve como caso o assassinato fictício narrado no livro “Os exploradores da Caverna”, do escritor Lon L. Fuller. Na história, um grupo de exploradores de cavernas, ao ficarem dias presos em uma caverna depois de um desmoronamento, recorreram ao canibalismo para sobreviverem. Ao serem resgatados, os sobreviventes são presos e levados ao júri sob acusação de homicídio.
Segundo o professor Francisco Simões P. Savóia, os alunos tiveram que estudar o caso apresentado no livro e preparar a argumentação, seja de defesa ou de acusação. “A atividade, proposta na disciplina de Introdução ao Estudo de Direito, teve a intenção de estimular o trabalho em grupo, despertar a competitividade aliada aos conhecimentos técnicos adquiridos neste início de graduação e, especialmente, a oratória. A argumentação é livre, respeitados os dados (provas) e demais circunstâncias que o livro fornece”, ressaltou o docente.
O coordenador de Direito da Unaerp Guarujá, Prof. Dr. Mardonio Girão, ressalta que “o Tribunal de Júri é o momento do mais importante do exercício da participação direta da sociedade na busca da manutenção ou resgate da ordem que, por meio de representantes, tem o poder de absolver ou condenar determinado réu”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

completar *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>