Aumento de cadeiras geraria despesa de mais R$ 2 mi por ano

Plenário Câmara (600 x 379)Vem causando bastante polêmica e protestos nas redes sociais a proposta de emenda à lei orgânica do município, apresentada pelo vereador Bispo Mauro Teixeira (PRB), que aumenta de 17 para 21 o número de cadeiras no legislativo municipal a partir de 2021.
O principal argumento do Bispo Mauro é que a Constituição prevê que municípios que possuem mais de 300 mil habitantes podem abrigar 21 parlamentares. Guarujá, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no ano passado, já contava com 313.412 habitantes. Pela lei, poderia ter até 23 ­vereadores.

Despesas
Com base em números do próprio Portal de Transparência da Câmara, a mudança iria gerar uma despesa mensal à Casa de quase R$ 158 mil (R$ 157.492,68) ou cerca de R$ 1,9 milhão (R$ 1.889.912,10) por ano, considerando apenas os subsídios ­atuais. Seriam mais quatro vereadores e 16 assessores parlamentares (quatro em cada gabinete) a mais na folha de pagamento. Cada parlamentar recebe R$ 10.021,17 e cada assessor R$ 7.338,00.
O cálculo não leva em conta outras despesas, como material de escritório, telefone, gasolina, equipamentos de informática, correio e mesmo obras de adaptação do prédio para os novos gabinetes que facilmente elevariam os gastos para valor acima de R$ 2 milhões por ano, o mesmo total referente a primeira parcela da economia gerada pela Casa em 2017 e devolvido à prefeitura para compra de equipamentos para a Saúde e Assistência Social.

Contra
Alguns vereadores já se manifestaram contra a proposição, entre eles o presidente da Casa, vereador Edilson Dias (PT) que postou em sua página de uma rede social: “Todo vereador tem o livre arbítrio de apresentar suas propostas na Câmara. Como Presidente do Legislativo tenho funções administrativas e de condução das sessões, sem interferir no trabalho dos demais. No entanto, como vereador sou totalmente contra este projeto e vou trabalhar para que ele seja rejeitado”.

Discussão adiada
Na última terça-feira (15), os vereadores resolveram adiar por 15 dias a discussão da proposta, prevista para ocorrer no próximo dia 29.  A decisão deverá ser em dois turnos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

completar *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>