Carlos Ramos, a cidade perde mais uma reserva moral

*Dr. Welinton Andrade Silva

No sábado passado, perdemos Carlos Ramos, amigo, fotógrafo profissional, empresário, maçom atuante, filantropo e chefe de família exemplar.
Quis o destino que dois dos principais símbolos de Vicente de Carvalho partissem quase na mesma data: Francisco Martins e Carlos Ramos.
Conheci Carlos Ramos e sua família quando ainda era criança em Vicente de Carvalho. Na verdade, ele me conheceu primeiro, portanto.
Lembro-me do orgulho com que ele falava do início da carreira e do seu comércio no Itapema, onde fez fama e tornou-se naquela época, pré-digital, uma referência no segmento fotográfico da região, com trabalhos perfeitos que eternizaram momentos felizes e especiais dos amigos e clientes.
Até hoje tenho uma foto da minha primeira comunhão, no antigo estúdio Foto Carlos de VC, salvo engano na Rua Amauri.
Com agenda cheia, era difícil, complicado contratar Carlos Ramos para cobrir um evento. Sua agenda possuía compromissos com mais de um ano de antecedência. As noivas ficavam aflitas, desesperadas por uma data.
Os que possuem mais de trinta anos, com certeza, devem possuir nas suas residências álbuns produzidos pelo Foto Carlos, senão deles crianças, dos os seus pais ou familiares.
Com o tempo, Carlos virou mais empresário do que fotógrafo e juntamente com os filhos mantinha lojas no Guarujá e Vicente de Carvalho.
O meu casamento não foi fotografado por ele devido a um bom motivo: Carlos e a querida Stella foram nossos padrinhos de casamento.
E o aceite do convite pelo casal nos honrou e honra muito. Carlos Ramos sempre foi um incentivador do nosso trabalho na imprensa. Conversávamos por horas sobre a cidade, seus problemas e soluções, na loja da 14 Bis e principalmente na antiga loja da Puglise, ao lado do Itaú-Unibanco.
Nosso agora saudoso amigo participou ativamente da estruturação, do desenvolvimento da cidade e da formação de uma sociedade mais crítica e justa. Presidiu por anos o Centro de Formação Profissional CAMPG – Guarujá que já ofereceu oportunidade para milhares de jovens da cidade.
Também foi um dos mais atuantes presidentes da ACEG – Associação Comercial e Empresarial de Guarujá – isso, quando tínhamos na prefeitura ninguém menos do que o também saudoso ex-prefeito Maurici Mariano.
Para defender os comerciantes, lembro-me bem, Carlinhos chegou a se indispor por várias vezes com Maurici. Cada qual da sua forma, defendendo seus pensamentos. Sempre com respeito. E aqui, é necessário que se abra parênteses para citar outro presidente da ACEG atuante e também nosso amigo Marinho Guzman.
Carlos Ramos era conhecido e será lembrado por sua seriedade, respeito, honestidade e amor pelo Distrito e por Guarujá. Fará falta, pois era também uma referência e reserva moral do município.
O fotógrafo e empresário deixou viúva Stella, filhos, e o irmão Luiz Carlos. Aos familiares registramos nossos sentimentos e singela, mas sincera homenagem ao amigo Carlos Ramos. Fica com Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

completar *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>