Chega de cafezinho, bate papo, foto para jornal e uso de instituições para conseguir cargos públicos na PMG. A cidade precisa é de união e resultados

*Dr. Welinton Andrade Silva

O prefeito Válter Suman, do PSB, recebeu em seu gabinete o presidente da ACEG – Associação Comercial e Empresarial de Guarujá – Rogério Sachs – e o segmento de restaurantes.
A reunião pré-agendada criou além de ânimo, expectativa tanto por parte da Prefeitura, quanto de parcela de associados da ACEG.
Como a própria ACEG sabe que o atual prefeito recebeu uma cidade arrasada, era esperado que o presidente da entidade apresentasse ao prefeito projetos alternativos para o desenvolvimento cidade.
Movidos pelo sentimento de terra arrasada que a ex-prefeita deixou a cidade, alguns comerciantes que nos contataram imaginavam e até queriam, que seus representantes oferecessem de alguma forma apoio para a prefeitura ajudar o comércio.
A prefeitura não pode, por exemplo, apesar da necessidade, iluminar apenas a orla da praia, sendo que a cidade inteira precisa de iluminação.
Na reunião, o empresário Heitor Gonzalez, diretor do Rufinos Restaurante, disse que havia perdido 10% dos clientes devido à crise durante o dia e 50% à noite devido à falta de iluminação.
Já o empresário Luiz Menezes, do Restaurante Chopp Halle, tentou discorrer sobre uma parceria entre PMG e empresas para resolver o problema da iluminação da orla de forma rápida. A fala de Menezes na reunião, entretanto, não produziu eco na direção da ACEG.
Acabada a reunião (teve um café da manhã) o prefeito postou fotos em seu concorrido facebook com parte do empresariado, gentil, agradecendo a todos.
Na oportunidade escrevi um comentário que aguardava release da Prefeitura ou da ACEG para divulgar o teor dos projetos discutidos no encontro. Também liguei para o presidente Rogério Sachs para pegar uma declaração dele, mas não obtive retorno. Ao final, nem prefeitura nem ACEG publicaram release do encontro no Gabinete, um indicativo de que nada de importante havia acontecido.
Como sua fala não surtiu efeito junto à direção da ACEG, o empresário Luiz Menezes conversou diretamente com a secretária de Turismo Thaís Margarido sobre o problema de iluminação na Orla.
Sugeriu que a secretária e seu adjunto Dedé do Adélia, tomassem frente num movimento que reúna poder público e privado numa parceria para iluminar a orla se possível com investimento 100% privado.
Menezes deixa claro que não foi nem vai à prefeitura atrás de cargo, emprego, secretaria, nem outros interesses pessoais. Ele costuma dizer que seu comércio gera empregos e que quer uma orla iluminada para todos. Por isso sugeriu à secretária Thaís que reúna ACEG, CDL, Sindicato de Síndicos… e Prefeitura para um debate de projeto que solucione o problema de forma rápida.
Menezes fala com propriedade e autoridade sobre o tema, pois além de filantropo já doou para a Prefeitura, a pedido do ex-adjunto do Turismo Marcelo Nicolau, três lâmpadas de mil volts e duas de 400 volts, além de cinco reatores. Que não custam barato.
Agora, caberá ao Turismo por em prática a ação indicada pelo empresário que, convenhamos, já deveria ter sido apresentada pelos representantes que estiveram com o prefeito ou pelo próprio Turismo. Chega de fotos, basta de cafés e fotografias.
Secretária, mãos à obra e conte conosco para tornar a cidade melhor.

*O advogado Welinton Andrade Silva é jornalista, formado em direito,

administração de empresas, Rádio e TV e agrimensura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

completar *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>