Deltan Dallagnol ministra palestra e divulga campanha contra corrupção

deltan_Unaerp (600 x 460)O procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato, ministrou palestra na última terça-feira (18) na Unaerp aos estudantes, professores de Direito, convidados e autoridades. O evento, realizado no Campus Ribeirão Preto com transmissão para o Campus Guarujá, teve como tema o “Combate à corrupção e as eleições de 2018”. Durante a palestra, Dallagnol contou sua experiência na Lava Jato e ressaltou a necessidade do engajamento da sociedade na luta contra a corrupção. “Se queremos mudanças, precisamos colocar no Congresso Nacional pessoas comprometidas com reformas sistêmicas, que ataquem esse problema sistêmico que é a corrupção. Precisamos de reformas no ambiente político, empresarial e de justiça criminal (...), e precisamos de uma sociedade civil mais ativa e participante da gestão da coisa pública”, afirmou. A pró-reitora da Unaerp Guarujá, Priscilla Bonini Ribeiro, destacou a relevância da atividade. “A palestra do doutor Deltan nos trouxe importantes reflexões sobre as consequências severas da corrupção no Brasil e nosso papel, enquanto cidadãos, de nos envolvermos para a mudança. Se queremos um Brasil melhor, precisamos começar por nossas atitudes, e fazermos parte das decisões de nossa comunidade, município, estado e País.” No evento, o procurador da República também divulgou a campanha “Unidos Contra a Corrupção” (www.unidoscontraacorrupcao.org.br), que incentiva a sociedade a votar em quem tem passado limpo, compromisso com a democracia e que apoie o documento “Novas medidas contra a corrupção”. Para o coordenador de Direito da Unaerp Guarujá, Prof. Dr. Mardônio Girão, a Unaerp cumpre seu papel em proporcionar essas reflexões de um tema de grande repercussão nacional. Já o coordenador dos cursos de graduação e mestrado em Direito da Unaerp Ribeirão, professor Sebastião Sérgio da Silveira, disse que Deltan Dallagnol, “de certa forma, encarna a luta do povo brasileiro contra a corrupção”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

completar *