“Estamos transformando o quadro de abandono em que encontramos a cidade”

WhatsApp Image 2017-06-02 at 22.22.13 (400 x 600)Diagnóstico

“Primeiro é importante salientar que no governo de transição não tivemos acesso a muitas informações. Assim que assumimos, a dívida com os fornecedores herdada do governo anterior que era estimada em torno de R$ 60 milhões saltou para R$ 190 milhões. Isso nos impôs, obviamente, a montar um conselho gestor para rever custos de contratos e fazer um diagnóstico preciso do quadro financeiro da cidade que nos propiciou uma economicidade que deu condições de, por exemplo, de dar ao funcionalismo público municipal um reajuste de 5,35% e atender outras expectativas da categoria. Além da economia, temos uma dívida ativa de mais de R$ 5,1 bilhões em créditos que a prefeitura historicamente deixou de cobrar. Parte dessa dívida, por ser muito antiga, deixou de ter condições jurídicas de ser cobrada.”

Equilíbrio
“Num momento de crise nacional temos que buscar o equilíbrio financeiro e orçamentário. A crise econômica, ética e institucional que afeta o país, nos afeta diretamente. Há uma queda de arrecadação que não nos permite atingir o orçamento previsto e isso nos obriga a fazer economia. Apesar dessas dificuldades, algumas ações tiveram que começar de maneira imediata, como decretar estado de emergência na Saúde Pública, em especial para o preenchimento de plantões que estavam a descoberto e contratação de ambulâncias para reduzir o tempo de resposta dos chamados de uma hora e meia para menos de 20 minutos atualmente. Também implementamos ações fortes de zeladoria da cidade que estava mal cuidada, desde a capinação, poda de árvores , pintura de guias e sarjetas, operação tapa buracos e desassoreamento de canais. Esse cuidar da cidade é importantíssimo.”

Refis
“O Refis está sendo estudado, como eu ressaltei, este é um momento de crise e a prefeitura tem que estar sensível a isso, porque sabemos que em época de crise as pessoas deixam primeiro de pagar impostos e, sem a receita dos impostos, o município não sobrevive e é preciso manter os serviços essenciais, como a Educação que hoje tem mais de 3.200 funcionários e fornece dois milhões de refeições por mês. Temos a responsabilidade de manter essa máquina andando.”

Segurança
“Na questão da Segurança Pública tivemos que dar condições para os nossos munícipes, turistas e veranistas continuarem usando nossas vias públicas. Nessa área enfrentamos também um grave problema que é o dos moradores de rua, um problema que é crônico na Baixada Santista, mas no Guarujá estava tomando grandes proporções. Lamentavelmente 90% são usuários de drogas e muitos têm antecedentes criminais.
É inadmissível que seres humanos percam sua dignidade dormindo embaixo de marquises. Recolher essas pessoas, cuidar delas e fazer o recâmbio para seus locais de origem é uma missão que nós temos que cumprir. O número de moradores de rua tem reduzido consideravelmente, mesmo porque uma cidade com potencial turístico não pode conviver com isso. Quero deixar bem claro que não é uma ação higienista, mas sim uma ação de cuidado com o ser humano, tanto que se chama Operação Dignidade. “

Empregos
“Junto com a questão da segurança, o foco é com a geração de empregos. Face à crise nacional, Guarujá tem hoje 30 mil pessoas procurando emprego. As atividades que geram mais postos de trabalho na cidade são as áreas de serviço e construção civil. O que aquece a demanda por serviços, de faxineiros, eletricistas por exemplo, é a cidade movimentada, fomentada, por isso vamos incrementar ao máximo a realização de eventos turísticos. Como frisei, para que se tenha turismo e veranismo, a gente precisa primeiro cuidar da cidade, deixá-la segura para atrair mais eventos corporativos e esportivos como o Congresso Paulista de Neurologia que no mês passado atraiu mais de 2 mil profissionais da área com seus familiares e isso movimentou bares, hotéis pousadas e o comercio, demandando a contração de mais mão de obra.”

Transporte
“A licitação para a concessão do serviço de transporte público está caminhando. O Plano Municipal de Mobilidade Urbana já está finalizado e nos próximos dias estará sendo apresentado ao secretariado e aos vereadores para que siga para votação na Câmara Municipal e sua aprovação é condição para que seja realizada uma nova licitação.
A condição jurídica da atual concessionária de transporte público não permite que ela tenha condições de participar de uma nova licitação e lamentavelmente a empresa que atualmente presta o serviço há mais de 40 anos, deixou a sua frota envelhecer, ônibus sem ar condicionado, abrigos em estado sofrível e tempo de espera prolongado. Atender a essas reivindicações é a expectativa de 70 mil passageiros por dia que usam o transporte público.”

Festejos juninos
“A cidade vai ter a volta os festejos juninos em vários bairros. A Secretaria de Cultura vai estar divulgando as datas e adianto que, em outubro, coincidindo com o Dia do Nordestino, vamos realizar a Nordeste Fest, aos moldes de um evento semelhante que acontece em Cubatão. Todo festejo tem que ter em vista também a solidariedade, beneficiando clubes de serviço, associações e entidades como Apae, Apaag e CRPI, onde a arrecadação é revertida para o atendimento prestado para a população.”

Obras
“Nestes cinco meses de mandato, nós resgatamos muitos recursos do Dade. Já estão em andamento obras que a população ansiava muito, como na Avenida Raphael Vitiello, na Vila Zilda e Vila Edna, Avenida Antenor Pimentel, no Morrinhos, a revitalização de pontos turísticos e a pavimentação de diversas ruas no Paicará.”

Política
“Não procede a notícia de que eu estaria deixando o meu partido, o PSB para ir para o PTB. Em nenhum momento aventei essa possibilidade. Tenho reconhecimento pela legenda que me acolheu, tenho o apoio do vice-governador Márcio França e do deputado estadual Caio França que está sempre próximo de nós. Ter relacionamento com outros partidos faz parte do processo político. Estive recentemente com o deputado Campos Machado e há por parte dele uma grande demonstração de boa vontade em somar alianças com o governo municipal para que as coisas comecem a acontecer, até porque, como outros políticos de projeção nacional, ele tem imóvel na cidade e paga IPTU.”

Expectativa
“Coisas simples como o retorno do Caminhão do Peixe, a iluminação da orla e da Avenida Thiago Ferreira já são conquistas significativas. Aos poucos estamos transformando o quadro de abandono em que encontramos a cidade.
Guarujá estando bem cuidada, iluminada, mais segura, com eventos e a construção civil sendo desburocratizada, facilitando a expedição de alvarás e a administração atenta à questão portuária, haverá retomada de investimentos e com isso, a qualquer momento os empregos vão ser recuperados. Essa é a minha expectativa. Sou otimista por natureza, acredito muito força do trabalho e na importância de que as pessoas exercitem a solidariedade, consciência ambiental e no exercício da cidadania. Com essa somatória e o comprometimento de todos os secretários, adjuntos e comissionados estamos conseguindo resgatar a autoestima e o orgulho de se viver aqui.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

completar *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>