Ex-prefeita Antonieta: Do gabinete da PMG para a sala de aula; Do Morrinhos para o alto padrão de Pitangueiras e acusação de corrupção no MP

A ex-prefeita Antonieta de Brito, do PMDB, é professora concursada na Prefeitura.
Terminado o seu mandato, ela tentou retirar uma “licença prêmio” como se ela precisasse e merecesse prêmio e reconhecimento após ter acabado com a cidade.
Ela mesma, no seu Face book, escreveu no dia 02 de fevereiro “… Agora entrando no meu período de licença-prêmio, um direito de todo servidor público…”.
Felizmente, no dia 10 de fevereiro, sexta feira, em ato oficial da secretaria de Administração, publicado no Diário Oficial, considerou “parecer exarado pelo Advogado Geral do Município nos autos dos processos administrativos… identificando vícios insanáveis (erro, defeito que não pode ser corrigido) no procedimento e na concessão de licença Prêmio “Em Descaso” da servidora em questão. Considerando que as impropriedades apuradas nos supramencionados processos, configuram inequívoca afronta às disposições dos artigos… da Lei Complementar Municipal nº 135/2012. Diante do exposto, a Secretaria Municipal de Administração, pautada pelos princípios da legalidade e da moralidade, comunica decisão de anular a concessão da “Licença Prêmio em descaso” à servidora Maria Antonieta de Brito. Dessa forma, convoca a servidora Prontuário nº 10.669, a comparecer, de imediato, nesta Secretaria Municipal de Administração”.
Ao contrário do que pensam alguns, Antonieta voltar para a sala de aula não é nenhum demérito, nem castigo, é um direito e uma obrigação dela enquanto professora concursada que é.
Aliás, é um direito de todos os professores estarem nas salas de aula praticando o seu ofício. Portanto, acertou a atual gestão ao fazer cumprir a lei, visto que, todos os outros colegas professores da rede municipal também não puderam, por enquanto, gozar de licença prêmio por falta de pessoal.
Agora, se não quiser voltar a dar aulas, a ex-prefeita possui a alternativa de pedir exoneração da sua qualidade de concursada e fazer política onde quiser.
A prefeita Antonieta não pode reclamar da vida. Quando ganhou a primeira eleição morava em Morrinhos, como ela sempre dizia. Hoje, reside na Rua México, na Barra Funda, em Pitangueiras, num prédio de padrão invejável para os padrões dos moradores de Morrinhos .
O novo endereço, a prefeita nem pode negar pois está no processo onde ela é acusada pelo Ministério Público de Corrupção ativa. Aquele caso que ela teria aceitado benefícios do dono da Guarda Patrimonial, que possui contrato milionário com a prefeitura.
O MP acusa a ex-prefeita, em ação civil pública, de ter tido contas de Hotel, Convites e viagem de helicóptero, pagas pelo empresário, que também é acusado no mesmo processo. Aquele famoso caso de Angra dos Reis.
Enquanto esteve no poder, Antonieta semeou inimigos. Isolou-se no poder e só ouvia os puxa sacos que ela nomeou. Agora, colhe os resultados e vê a realidade da própria rejeição e do lixo em que ela colocou nossa cidade.
Boa aula professora. E boa sorte aos alunos dela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

completar *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>