Grupo de trabalho vai debater privatização da dragagem do Porto

Squassoni (369 x 600)O deputado federal Marcelo Squassoni (PRB) participou, na quarta-feira (1), da assinatura da portaria que cria o grupo de trabalho responsável por analisar a proposta de privatização da gestão da dragagem do Porto de Santos. Assinada pelo ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, a portaria era bastante aguardada pela comunidade portuária há alguns meses e foi publicada na quinta-feira (2). O grupo de trabalho terá 90 dias para apresentar o relatório que dará início às obras. Ele será composto por representantes da iniciativa privada e também do Governo Federal, sob a coordenação do Ministério dos Transportes. Os nomes serão indicados até o final da próxima semana. Os integrantes vão analisar proposta de entidades que atuam no Porto de Santos feita em agosto, que prevê a criação de um consórcio formado por operadores portuários, terminais privados e arrendatários, além da Codesp. A ideia é que a empresa que assumir o contrato da dragagem seja remunerada com parte da tarifa destinada à manutenção das profundidades do Canal do Porto. A privatização da gestão da dragagem passou a ser cogitada em razão das dificuldades do Governo em contratar o serviço, o que é alvo de constantes críticas dos usuários do Porto de Santos, diante dos prejuízos acumulados com o constante assoreamento da rota usada pelos navios. “A modernização do Porto de Santos é uma expectativa não só da comunidade portuária, mas de todo o Brasil. Um quarto das exportações brasileiras passam pelos terminais de Santos e Guarujá, por isso o nosso porto precisa oferecer o calado adequado para a operação dos maiores navios que já operam mundo afora. Trata-se do futuro da Economia do País”, ressaltou o deputado Marcelo Squassoni. “Dragagem é a prioridade número um para qualquer porto brasileiro ou do mundo”, salientou o ministro Quintella. Além de Squassoni e Quintella, participaram da cerimônia o diretor-geral da Antaq – Agência Nacional de Transportes Aquaviários, Adalberto Tokarski, o diretor-presidente substituto da Codesp, a Autoridade Portuária de Santos, Francisco José Adriano, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

completar *