“Guarujá é como uma Ferrari que o dono não tem dinheiro para trocar o óleo”

marquiel 012 (600 x 304)Marquiel Francisco Melo, o Pastor Marquiel, é professor, evangélico há 50 anos, congrega na Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Jardim Helena Maria como pastor voluntário. Foi por duas vezes candidato a vereador é pré-candidato a prefeito pelo PEN, Partido Ecológico Nacional.

Avaliação

“Como cristão, acredito que não ter ganhado nas eleições que concorri para vereador, não estivesse nos planos de Deus, porque eu não sou muito de discussão, eu sou mais operacional. Sou de resolver o problema. Penso que nós precisamos ser mais operacionais, sair do discurso de palanque, da promessa e executar, agir. O nosso povo é constantemente enganado nas eleições. Pode reparar que em todas as eleições de Guarujá sempre tiveram três ou quatro mentiras muito fortes e os eleitores acabaram votando nesse ou naquele candidato porque acreditou nessas mentiras. O aeroporto é uma delas, o hospital de Vicente de Carvalho, a urbanização das favelas, das palafitas e a regularização dessas áreas com escritura para os moradores. Não aconteceu nada disso e a cara do Guarujá continua a mesma. Milhões tem sido gastos, mas esse dinheiro não tem chegado à população na forma de benefícios.”

Propostas

“Uma de minhas primeiras medidas seria eliminar algumas secretarias, mas iria criar a Secretaria de Autogestão e Estatística porque um prefeito precisa de um estudo cientifico para nortear suas ações em relação a um determinado problema, desde a origem, possíveis soluções e monitoramento dessas ações. Eu também iria chamar todos os outros candidatos e principalmente os que já foram prefeitos da cidade porque acredito que todos têm virtudes em determinadas área e podem contribuir com algo de bom para a nossa cidade.”

“Não consigo ver avanços na Saúde. Eu tento, mas não consigo ver. O caso das UPAs, Unidades de Pronto Atendimento é um exemplo. Foram implantadas unidades em vários bairros da cidade como no Jardim Boa Esperança, na Enseada, mas quando a população precisa, não tem médicos, não tem remédios, quando muito, dois ou três tipos de medicamentos. Se precisar de internação no Hospital Santo Amaro, não tem vagas de UTI. Com isso eu quero dizer que a prefeitura fez muitos projetos para conseguir recursos federais, mas sem planejamento, sem a prefeitura ter condições da contrapartida. É como se você ganhasse uma Ferrari e não ter dinheiro para trocar o óleo. Eu começaria priorizando a remuneração dos médicos, que recebem aqui valores abaixo da linha do mercado. Não existe mágica, você tem que pagar o que o profissional vale para poder exigir que ele cumpra os seus horários. Outra frente para melhorar a qualidade do atendimento seria a capacitação dos funcionários no que se refere à humanização. Eles precisam estar preparados para acolher bem as pessoas na hora em que elas estão mais fragilizadas.”

“Na Educação também não vejo avanços. Não é possível se fazer nenhum planejamento e implantar políticas públicas nessa área se a prefeitura não tem estatísticas sobre o número de alunos que terminou o Colegial e ingressou numa faculdade. O que a gente sabe é que a maioria não teve acesso ao ensino superior e que os índices de consumo de drogas e da criminalidade estão aumentando. A falta de conhecimento dessas pesquisas pode até nos dar a ilusão que nós tivemos avanços, mas a realidade é que as crianças estão chegando à quinta série sem saber ler e escrever. A aprovação automática, se de um lado economiza dinheiro público, por outro comete um genocídio intelectual. Eu daria autonomia aos diretores das escolas para que eles possam determinar os métodos mais adequados às suas comunidades porque uma escola do Centro e uma do Morrinhos 4 são diferentes. Hoje o perfil do diretor não é respeitado, ele faz o que a secretária de Educação quer.”

“Da zeladoria a gente não precisa nem falar, é só andar pela cidade. Guarujá é suma cidade turística e não pode ter manutenção só em ano de eleição. As regionais deveriam ter um protocolo, um cronograma de ações em cada bairro que deveria funcionar independentemente de quem seja o prefeito. É o mínimo que se espera de um prefeito.”

“Na área da Segurança, sabemos que ela é arcaica em todo o país e a segurança ostensiva não funciona no Guarujá, nem no resto do Brasil. O número de policiais fardados aumenta e a criminalidade também. Precisamos investir em Inteligência, aumentar o número de policiais à paisana, como nos Estados Unidos, porque isso gera uma grande sensação de segurança na população. Em relação à Guarda Municipal, penso que deveriam ser instalados postos em parceria com a PM em todos os bairros e ela tem sim que ser armada, mas com treinamento e a sua hierarquia, obrigatoriamente tem que ser por critérios de meritocracia.”

Expectativa

“O eleitor precisa olhar para a vida do candidato, como ele é como pai, como marido, como é o seu comportamento na comunidade, como realiza os seus negócios, pois é isso que vai dizer qual vai ser o seu comportamento depois de eleito. Durante os poucos meses da campanha é muito fácil para quem é lobo, colocar uma capa de ovelha, mas ninguém consegue esconder 30, 40 anos de vivência. As pessoas podem esperar de mim fidelidade e muita coragem para enfrentar quem quer que seja pelo interesse público e disposição para mudanças porque para resolver os problemas de base, precisamos sair da zona de conforto.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

completar *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>