Horário de verão começa à meia noite deste sábado (03)

O horário de verão começa neste sábado (3). Dez estados e o Distrito Federal devem, à zero hora, adiantar os relógios em uma hora. Adorado por uns e detestado por outros, a medida gera cada vez menos economia e o Governo Federal pensa em aboli-la. Neste ano, o horário de verão começa no primeiro domingo de novembro e não no terceiro fim de semana de outubro. A mudança foi um pedido do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para evitar que o horário mudasse entre o primeiro e o segundo turno das eleições, mantendo o critério único de aplicação da política. Embora divida opiniões, a medida já não é vista pelo governo como grande geradora de economia de luz. No ano passado, o Governo Federal anunciou que pensava em acabar com medida, porque o consumo passou a ter mais relação com a temperatura do que com o horário. Prova disso são os números da CPFL, concessionária de energia que abastece 27 municípios do Estado, entre eles, cinco da Baixada Santista (Cubatão, Guarujá, Praia Grande, Santos e São Vicente). Há dois anos, a empresa previa uma economia de 0,5% no período. Desta vez, o número caiu para 0,18%. Na prática, isso significa deixar de gastar 7,7 mil MWh nessas cidades, quantidade suficiente para abastecer a população de Praia Grande por cinco dias ou a de Santos por 48 horas. “Ao se deslocar o horário oficial em uma hora, dilui-se por um período maior o momento que esses equipamentos começam a funcionar. Dessa forma, o ganho do horário de verão, além da economia, está em afastar os riscos de sobrecarga no momento que o sistema elétrico atinge o seu pico de consumo”, explica Thiago Guth, diretor de Operações da CPFL. O horário de verão seguirá até 16 de fevereiro de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

completar *