Iniciativa privada deve assumir operações em Guarujá, Santos e Bertioga

A vitória nas urnas de João Doria (PSDB) ao Governo do Estado vai provocar mudanças na travessia por balsas no Litoral. Durante a campanha, o ex-prefeito da Capital prometeu repassar para a iniciativa privada os serviços, que incluem as operações em Santos, Guarujá e Bertioga. A expectativa é que a concessão no sistema de passageiros e de veículos possa ocorrer no primeiro ano da gestão do tucano. Pelos planos, os oito pontos de travessia operados pela Dersa serão oferecidos para a iniciativa privada, abrindo espaço para a concorrência com mais de uma empresa por trecho. Doria acredita que, assim, vai resolver os principais problemas do sistema. Ele cita redução de filas, troca das embarcações antigas, maior velocidade nas operações e redução nas tarifas. Na semana passada, uma nova empresa assumiu a operação da travessia por 12 meses. Nesse período, o próximo governo deve fazer as adequações legais para conceder o serviço. Empresas terceirizadas Os planos de privatizar a travessia paulista foram apresentados à imprensa em julho passado. Na ocasião, Doria considerou que não fazia “sentido” o Estado administrar as balsas. “Governo tem que administrar saúde, educação e segurança pública”, afirmou na ocasião. Doria destacou ainda que haveria “volume suficiente para comportar o atendimento a duas empresas operando” os sistemas de balsas e de lanchas. A ideia, contudo, pode esbarrar na falta de interesse de empresas para operar o sistema na sua totalidade. Com base nos dados informados pela Dersa, especialistas afirmam que o único sistema lucrativo é o da travessia Guarujá-Santos. Os demais têm prejuízo com suas operações e alegam que, na prática, o serviço já está privatizado, pois a operação é feita por empresa terceirizada há mais de duas décadas. Expectativa Usuários do sistema apostam em redução no tempo de espera na fila, pois com a mudança, o serviço deve ficar mais ágil. A expectativa é de que novas embarcações reforcem a frota. Setores ligados ao Turismo avaliam impactos positivos também para os turistas e citam a realização de eventos em uma cidade e a facilidade de hospedagem no município vizinho, sem o problema das grandes filas de hoje em dia, facilitando o fluxo de turistas entre as cidades. Dersa Em nota, a Dersa informa seguir trabalhando para assegurar aos usuários um serviço de qualidade, independentemente de eventuais decisões governamentais a serem adotadas. O órgão ressalta que nesse ano fez investimento de R$ 18,3 milhões para a reforma de embarcações e flutuantes. Também sustenta ter instalado um novo modelo do Centro de Controle Operacional (CCO), integrando sistemas e equipamentos com geração de dados em tempo real, possibilitando melhores tomadas de decisões na gestão das operações. (Com informações de A Tribuna/ Foto: Rogério Soares)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

completar *