Leishmaniose

Trata-se de uma doença parasitária grave do cão, causada por um parasita microscópico, Leishmania chagasi, transmitido por um flebótomo - inseto relativamente parecido com um mosquito, mas menor. A Leishmaniose é uma zoonose, ou seja, pode ser transmitida ao homem. O primeiro sinal clínico mais comum a aparecer é a perda de pelo, sobretudo ao redor dos olhos, nariz, boca e orelhas. À medida que a doença progride, o cão perde peso. É habitual o desenvolvimento de feridas que podem se disseminar, sobretudo nas regiões do corpo do cão que têm maior contato com o chão quando o cão está sentado ou deitado. Em uma fase mais avançada, começam a se observar sinais relacionados com a insuficiência renal crônica e acelerado crescimento das unhas. Se o seu cão não receber qualquer proteção, o risco é bastante alto, especialmente se a área na qual ele se encontra é endêmica. O risco é maior se os fatores climáticos forem favoráveis (alta temperatura, umidade, presença de matéria orgânica etc.) ou se permanecer na rua. A Leishmaniose Visceral Canina é uma doença de alta letalidade nos cães e em casos de suspeita, deve-se levar o seu cão ao veterinário ou ao Centro de Controle de Zoonoses mais próximo o mais rápido possível. O médico veterinário irá examiná-lo clinicamente e propor-lhe a realização de um ou mais exames complementares de diagnóstico para confirmar a presença ou não da doença.

Dra. Juliana Martins Ferreira é médica veterinária (CRMV 29.816) e atende na Clínica Happy Pet,

Rua Guilherme Guinle, 445, Vicente de Carvalho, tel. 33043062

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

completar *