Manchas escuras nas praias preocupam banhistas

Esgoto Enseada (600 x 265) (600 x 265)Desde o início do ano, foram muitas as postagens em redes sociais de fotos e vídeos de veranistas e moradores reclamando das manchas escuras que saem das galerias de águas pluviais nas praias em direção ao mar como a da foto acima. Diante do fato, a Prefeitura emitiu na tarde de quinta-feira (18) o seguinte comunicado oficial:
“Desde o primeiro dia de governo, a atual administração tem demonstrado fundamental interesse na questão do saneamento ambiental, com destaque à água e ao esgoto. Por diversas vezes, a empresa concessionária foi multada por extravazamento de esgotamento sanitário em praias, canais e outros locais. Em meados do ano passado, foi revelado, por meio das secretarias de Meio Ambiente e Infraestrutura, um enorme desvio da rede coletora de esgotamento sanitário em Morrinhos, onde uma quantidade significativa de esgoto era despejada no Rio Crumaú.
As sucessivas multas fizeram com que, em ato contínuo, a presidência da empresa concessionária de água e esgoto comunicasse a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) que não mais prestaria serviços para Guarujá. Não se intimidando, a atual administração prontamente instalou um Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), possibilitando que outras empresas pudessem analisar a operação como um todo na Cidade.
De lá pra cá, inúmeros documentos foram trocados, sendo que os mais importantes estão disponíveis no site da Prefeitura de Guarujá (http://www.guaruja.sp.gov.br/index.php/pmi/).
No final do ano, com a insistente falta de informação e contumaz omissão da empresa, a Prefeitura de Guarujá promoveu uma ação judicial, conquistando uma liminar que ordena que toda operação seja revelada para os técnicos da Municipalidade.
Não obstante, nesta temporada, no início de dezembro, ao anúncio da aparição das primeiras ‘línguas pretas’ (manchas escuras que saem das galerias de águas pluviais em direção ao mar), a Prefeitura contratou um laboratório que colheu o material escuro em Pitangueiras e fez análises. Os resultados demonstram que não existe esgoto em quantidade suficiente que pode apontar para uma contaminação. O material de coloração escura é, na verdade, sedimento dos canais, o que está sendo enfrentado por meio de mutirão de limpeza feito pela Seurb.
Para contribuir com o aprimoramento na investigação dos canais de drenagem, a Secretaria de Meio Ambiente está celebrando convênios com dois centros de pesquisa (Cepema/USP e Universidade Federal de São Paulo, campus Santos) não só para estudar a drenagem de águas pluviais, mas também para dar continuidade à pesquisa que revelou recentemente grande quantidade de cocaína no estuário.
A Prefeitura de Guarujá atua nesta área com imensa transparência e responsabilidade, e entende que a demanda reprimida de limpeza e falta de fiscalização vem de décadas. Porém, não existe nenhum dado científico que nos comprove aumento elevado de doenças diarreicas neste período em razão de excesso de esgoto nas praias.
Qualquer tipo de dúvida poderá ser esclarecida diretamente na Secretaria de Meio Ambiente, junto ao secretário Sidnei Aranha, que é o presidente do Grupo de Trabalho de Saneamento Básico, por meio do telefone (13) 3308-7888.”
Nossa reportagem tentou contato com o secretário durante a semana e não obteve retorno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

completar *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>