“O PSOL tem uma visão completamente diferente dos partidos tradicionais”

Jonatas_cortada 3 (388 x 600)Jonatas Nunes, o pré-candidato a prefeito do PSOL, tem 44 anos, é estudante de Direito, mora em Vicente de Carvalho onde nasceu. Começou a militar na política aos 13 anos de idade no movimento estudantil. Foi fundador do primeiro Grêmio Estudantil da Ilha de Santo Amaro, o Grêmio 26 de Julho do Marcílio Dias onde estudou, e posteriormente a UMESG (União Municipal dos Estudantes Secundaristas do Guarujá) por volta de 1980. Foi presidente da ONG Coletiva Alternativa Verde que fazia militância na área Ambiental na Baixada Santista e no Guarujá.

Escolha partidária

Hoje estou como pré-candidato a prefeito pelo PSOL (Partido Socialismo e Liberdade) que é um partido diferenciado. É o único partido que elege deputados federais, estaduais e senador sem financiamento empresarial de campanha, um partido muito ético, um partido novo com apenas dez anos e que hoje na cidade se encontra reformulado com novos rumos, com uma juventude muito entusiasmada com o processo político, com setoriais LGBT, mulheres, negros e negras e tem uma visão completamente diferente dos partidos tradicionais da cidade.”

Momento político

Discordamos profundamente do processo administrativo da cidade, somos oposição ao governo Antonieta desde que formulamos o partido. Concordamos que a cidade está extremamente mal administrada em diversos setores, principalmente os da Saúde e Educação, achamos que, se não é juridicamente correto, é moralmente incorreto você ter uma pessoa como a Priscilla Bonini que é ligada à UNAERP, que tem seus próprios interesses, pois sua família é dona da instituição e ao mesmo tempo ser Secretária da Educação. Achamos uma contradição que existam grupos econômicos que hoje partilham a prefeitura num grande consórcio de interesses próprios. É necessário reformular os contratos que existem com a administração, pois as empresas que historicamente tem ganhado dinheiro na cidade não dão a contrapartida que ela merece, entre elas a Terracon, que julgamos prestar um péssimo serviço. Pensamos também que é necessária uma reformulação do processo político, ­­ julgamos ter uma péssima qualidade por parte dos vereadores, mas existem exceções. Temos acompanhado o mandato do Edilson Dias que é o único, na nossa opinião, vereador de oposição, mas vive uma contradição por estar no PT e não ter conseguido construir uma alternativa para a cidade, por isso temos uma chapa de vereadores do PSOL com gente nova, pessoas com ideias novas, com militância social de vários bairros da cidade.”

Propostas

A gente tem um pacote de ações que faríamos nos primeiros 100 dias de governo, começando por uma auditoria cidadã das dívidas da prefeitura, dos precatórios e uma revisão dos contratos. Temos a certeza de que a forma que a prefeitura hoje tem lidado com a questão de contratos não é adequada e essa auditoria com certeza vai mostrar as irregularidades.”

Segundo ponto, vamos apresentar dentro da Câmara um projeto de reforma administrativa da cidade, onde a gente pode manter o mesmo nível de empregabilidade que a prefeitura tem hoje, mas fazendo redução de salários para que se possa ter uma economia nessa área e investir em frentes de trabalho para que a cidade tenha um melhor serviço de zeladoria de bairros.”

Um terceiro ponto é revisar o contrato com a empresa de lixo e, a partir do segundo ano do nosso mandato, estudar a implantação de uma empresa municipal de coleta, com a inclusão dos catadores no processo de coleta seletiva para podermos gerar emprego e renda, para quem é de uma classe mais excluída. Uma usina de reciclagem de lixo pode gerar mais de 200 empregos na cidade.”

O quarto ponto é a reformulação do processo da empresa de transporte coletivo que é um serviço mal prestado e que deveria ter mais acessibilidade. A Translitoral não presta um serviço inclusivo, um serviço de qualidade e é deficitário em várias linhas.”

O quinto e principal ponto é uma reforma profunda da formatação do poder na cidade, a gente pretende construir uma nova forma de fazer política, uma nova forma de ver o poder, com sustentabilidade, com inclusão, com participação onde vamos reformar todos os conselhos municipais tornando-os deliberativos e com um orçamento participativo de verdade, permitindo que esses conselhos sejam formados por quem participa e utiliza os serviços de fato. Vamos dividir o poder com a população para que todos sejam ouvidos e possamos crescer de forma mais eficiente.”

Expectativa

O munícipe pode esperar não só de mim, mas do PSOL e dos outros partidos que estarão junto com a gente numa possível governabilidade da cidade, um governo de participação popular, vamos dialogar de forma republicana com todos os atores de cada setor. A sociedade pode esperar uma administração séria, competente e com projetos. A gente não vai titubear nas nossas proposições, temos propostas para todas as áreas e quem quiser conhecer mais as propostas do PSOL pode entrar em contato com a gente através do site, do Facebook ou através de nossas diversas redes que temos para debates. Nosso compromisso é com a cidade, com pessoas sérias e compromissadas em propor um projeto no para nossa cidade.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

completar *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>