Obras turísticas devem ser iniciadas até novembro

Maluf_morro (600 x 400)Obras que foram paralisadas na gestão anterior por problemas com as empreiteiras responsáveis devem ser retomadas até o final deste ano. São elas os mirantes do Morro do Maluf (Morro da Campina) e da Ponta das Galhetas, na Praia das Astúrias, e a reurbanização da Praça Horácio Lafer (Tejereba) no início da Praia da Enseada.
As obras tiveram repasses de verbas do Ministério do Turismo e os recursos, no montante de R$ 4,5 milhões, que já faziam parte de convênios com a prefeitura, devem ser liberados pela Caixa Econômica Federal, após ajustes. Conforme cálculos da Secretaria Municipal de Turismo, o valor precisa ser atualizado.
Conforme a secretária, quando a atual gestão assumiu, no início de janeiro foi feito um levantamento que constatou que os recursos eram insuficientes para terminar as obras paradas, porque os projetos apresentados estavam incompletos e não contemplavam a iluminação e a urbanização das obras. Novos projetos foram levados à Brasília para pleitear os recursos adicionais da ordem de R$ 5,5 milhões o que elevaria o tal para R$ 10 milhões.
O Governo Federal está analisando o pedido, mas conforme a prefeitura, as obras serão iniciadas até novembro com os recursos já disponibilizados após licitação prevista para o segundo semestre.
A obra do mirante panorâmico do Morro do Maluf previa base feita em concreto, piso revestido, escadas, platô de observação, parapeitos, paisagismo e a instalação de informativos. Foram liberados recursos da ordem de R$ 981 mil, mas o valor pretendido é de R$ 1,5 milhão.
O Mirante do Morro da Caixa D’água, nas Galhetas previa escadaria, corrimão, rampa, calçadas e obras de contenção da encosta, além do platô de observação e também de painéis informativos. Os recursos liberados pelo Ministério do Turismo montam pouco mais de R$ 1,5 milhão, entretanto são necessários R$ 3 milhões.
O projeto apresentado para a Praça Horácio Lafer é o mais caro, visa recuperar o local e construir equipamentos para as secretarias de Esportee Cultura, além de transformar o logradouro em palco de eventos com a edificação de um palco fixo. O Governo Federal autorizou a liberação de recursos da ordem de R$ 2 milhões, mas com a atualização de valores pode chegar a R$ 5 milhões. (com informações de A Tribuna)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

completar *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>