Oficina de Parentalidade busca o diálogo entre pais separados

Foto principal_oficina (600 x 428)A separação de casais pode representar um difícil momento, e quando há filhos, a situação pode ser agravada se os pais não mantiverem o diálogo e a harmonia. Para promover a pacificação, o CEJUSC – Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania realiza a Oficina de Parentalidade. A última reunião desse ano foi realizada nesta sexta-feira (23) com a participação de 20 casais. O serviço, realizado em parceria com o Tribunal de Justiça, integra as ações sociais da UNAERP Guarujá.
Nesses encontros, os pais participam separadamente de dinâmicas e assistem depoimentos e vídeos para refletirem sobre esse momento de mudanças. “A ideia é reunir esses pais e mães onde podem compartilhar com outros pais na mesma situação, trocar experiências e ver que as dificuldades não são restritas a eles”, explica a juíza responsável pelo setor, Dra Maria Cecília dos Santos Blanco Peres.
A ideia da Oficina de Parentalidade surgiu em São Vicente com a juíza Vanessa Aufiero da Rocha, sendo adotada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). “E a partir da iniciativa da juíza responsável pelo CEJUSC Guarujá, Dra Maria Cecília, e com apoio da UNAERP que abraçou a ideia, conseguimos iniciar as oficinas, e o resultado tem sido positivo”, relata o chefe do CEJUSC, Luciano Werneck Barreto. Neste ano, foram realizadas 12 oficinas envolvendo mais de 960 pessoas.
Conciliação
Essa é uma das atividades do CEJUSC, que visa a solução de conflitos pela conciliação, atendendo casos de Direito de Família, conflitos de vizinhança ou de trânsito, Direito do Consumidor e renegociação de dívidas. Nas audiências, as partes são chamadas para o diálogo e busca-se a resolução do conflito de maneira consensual. O CEJUSC integra as iniciativas sociais da UNAERP Guarujá.
De 27 de novembro a 1 de dezembro acontecerá a XII Semana Nacional de Conciliação, quando haverá um mutirão de audiências e o setor dará orientações ao público. O CEJUSC fica no subsolo da UNAERP Guarujá (Av. Dom Pedro I, 3300, Enseada). Mais informações pelos telefones (13) 3398-1202/3398-1205.

 

Depoimentos

Juiza Maria Cecília (366 x 600)“O CEJUSC tem uma parceria muito importante com a UNAERP. Ele foi criado para buscar a pacificação da sociedade. E as oficinas são mais um desses instrumentos, que vem cumprindo seu papel”.
Dra Maria Cecília dos Santos Blanco Peres, Juíza responsável pelo CEJUSC Guarujá

 

 

Luciano (362 x 600)“O resultado tem sido muito positivo. A oficina permite um trabalho humano com as partes, de cultura de paz para criar o diálogo entre as pessoas. Após a oficina, as partes chegam para a audiência de conciliação de uma forma mais consciente para resolver o conflito. É um trabalho muito enriquecedor.”
Luciano Werneck Barreto – chefe do CEJUSC Guarujá

 

 

Kamila (369 x 600)É um privilégio fazer parte dessas equipes, porque somos como uma agência de paz, estamos fazendo parte de um grupo que realmente busca implantar essa cultura de paz que a nossa sociedade tanto precisa.
Kamila Barbosa Ribeiro Lima – voluntária do CEJUSC Guarujá

 

 

Marlene (363 x 600)“Os casais podem ter se separado, mas a família não terminou. Nosso objetivo é sensibilizar as pessoas para repensarem sobre o quanto esses filhos sofrem com a briga dos casais. Quanto maior a harmonia, melhor será a formação desses filhos”.
Marlene Cruz Ramos – voluntária do CEJUSC Guarujá

 

 

Henrique (356 x 600)“Comecei como estagiário do CEJUSC no ano passado, e pude auxiliar no atendimento e orientação ao público. É uma experiência onde colocamos em prática o que vimos na teoria, e é muito bom ajudar as pessoas no acesso à Justiça”.
Henrique Souza Campos – aluno de Direito da UNAERP

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

completar *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>