Pinga fogo 531

Novos capítulos
Quem pensava que a novela do aeroporto tivesse acabado, não esperava que nessa semana ainda assistiria capítulos empolgantes. Na quinta-feira (17), a vereadora e líder do prefeito, Andressa Salles (PSB), voltou a criticar o secretário Gilberto Benzi e não poupou adjetivos em entrevista no programa Forrobodó do apresentador Gilson Lima.

Novos capítulos II
“É muito fácil ir para as redes sociais e jogar o seu erro nas costas do prefeito. Você não teve ética, Gilberto Benzi! Foi falta de competência sua sim! Você não tem nenhum tipo de comprometimento com a cidade, nem com o prefeito. Você pensou só no seu umbigo, você só pensou na sua carreira política e não é assim que um político tem que agir.”

Novos capítulos III
O prefeito Válter Suman, pela primeira vez se manifestou sobre o assunto em entrevista exclusiva a este jornal e mesmo ressaltando que não iria alimentar a polêmica, deu sua alfinetada em Benzi.

Deslize
“Quero entender que possa ter havido um deslize da parte do secretário de Desenvolvimento Econômico e Portuário quando atribuiu ao prefeito o insucesso da licitação do aeroporto. Já conversei com o Benzi e ele sabe muito bem que isso não é verdade e já reconheceu o equívoco da parte dele”, disse Suman.

Desgaste político
Na mesma entrevista, o prefeito anunciou que daqui para frente, o aeroporto passa a ser assunto exclusivamente da Secretaria de Governo, saindo, portanto, da alçada da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Portuário. Uma derrota política para Gilberto Benzi que pode impactar negativamente nas suas pretensões eleitorais.

Na rodinha…
De cientistas políticos do Posto Ipiranga o assunto rendeu. Um deles comentava que tirar o aeroporto do Benzi era uma desmoralização tão grande como tirar o PAM da Rodoviária da Secretária da Saúde e outro completou “ou deixar a Operação Dignidade do Venâncio, recolher as tartarugas do Aranha”.

Crescei e multiplicai
A proposta do vereador Bispo Mauro (PRB) de aumentar o número de vereadores dos atuais 17 para 21 em 2021 não pegou bem. Até agora ninguém apoiou a iniciativa publicamente, muito pelo contrário, diversos vereadores fizeram coro com os comentários contrários nas redes sociais.

Livre arbítrio
O próprio presidente da Casa, vereador Edilson Dias (PT), manifestou-se contra na sua página no Facebook: “Todo vereador tem o livre arbítrio de apresentar suas propostas na Câmara. Como Presidente do Legislativo tenho funções administrativas e de condução das sessões, sem interferir no trabalho dos demais. No entanto, como vereador, sou totalmente contra este projeto e vou trabalhar para que ele seja rejeitado.”
Sem economia
Considerando a folha de pagamento em valores de hoje e outras despesas, como material de escritório, telefone, gasolina, equipamentos de informática, correio e obras de adaptação do prédio para os novos gabinetes, os gastos com a medida chegariam perto de R$ 2 milhões por ano, o mesmo total referente à primeira parcela da economia gerada pela Casa em 2017 e devolvida à prefeitura para compra de equipamentos para a Saúde e Assistência Social.

Engavetado
O plenário resolveu adiar a discussão da proposta do Bispo por duas sessões, mas a esta coluna, vários vereadores afirmaram que depois disso o projeto vai mesmo é para a gaveta.

Estragou a festa
A eleição para o Diretório do PMDB em Guarujá estava correndo bem e tranquila em clima de festa no plenário da Câmara Municipal na última quarta-feira (16) com vários concorrentes ao cargo de presidente, entre eles o ex-vereador Nelsinho Filho, e os vereadores Joel Agostinho e Luciano Tody, até a chegada da ex-prefeita Maria Antonieta de Brito.

Estragou a festa II
Discretamente os pretendentes ao cargo de presidente começaram a se retirar junto com grande parte dos filiados. Ficaram pouco mais de 30 pessoas que elegeram a chapa única encabeçada por Leandro Bitencourt afilhado político de Antonieta.

Ficou feio…
Para uma cidade administrada por um médico ser motivo de críticas em um dos programas de rádio mais ouvidos no Brasil, o 90 Minutos do Datena na Rádio Bandeirantes, por faltarem insumos como insulina e tiras, na rede pública para as crianças e adolescentes com diabetes assistidos pelo programa Docinhos, da Secretaria de Saúde.

Ficou feio também…
A nossa reportagem ligar para a assessoria de Comunicação da prefeitura sobre o assunto e a jornalista que responde pela Secretaria da Saúde estar na TV gravando seu programa de televisão, em horário de trabalho, bem entendido.

Boa ideia
Em matéria publicada nesta edição, o prefeito Válter Suman afirmou que uma das soluções para acabar com a falta de medicamentos seria a criação de um consórcio metropolitano para unificar as compras de remédios, insumos e material médico dos nove municípios da Baixada Santista. Em princípio a ideia foi aprovada pelo presidente do Condesb, o prefeito de Praia Grande, Alberto Mourão.

Pauta positiva.
Em tempos de crise a iniciativa de Suman, viria para resolver um problema crônico na Região, barateando os custos e agilizando o processo. Agora seria bom que a jornalista que não atendeu este jornal, fizesse matéria sobre esta proposta do prefeito para ser divulgada na Rádio Bandeirantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

completar *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>