Prefeito segue fazendo o que mais gosta e sabe fazer: marketing dele próprio e de sua gestão

No ano que vem teremos eleição para presidente da República, governadores, senadores, deputados federais, deputados estaduais e deputado distrital.
Com a Operação Lava-Jato a todo vapor, prendendo e denunciando figurões da República, o Instituto Paraná Pesquisa soltou nesta sexta feira sua pesquisa com os principais nomes para a sucessão do presidente Michel Temer, do PMDB, e do governador Geraldo Alckmin, de São Paulo.
A grande surpresa da pesquisa e da própria política atual atende pelo nome de João Doria, do PSDB, prefeito de São Paulo que, ao menos por enquanto, está dando show à frente da gestão da capital paulista.
Segundo a pesquisa, que ouviu apenas eleitores do Estado de São Paulo, o prefeito João Doria e seu padrinho político, governador Geraldo Alckmin, estão à frente do ex-presidente Lula, do PT. Doria é o Tucano mais popular para concorrer à presidência e ao governo do estado.
Pelos números apurados, com Doria candidato à presidência, ele teria 26,3% dos votos contra 15,2% do ex-presidente Lula. Nesse cenário, o deputado Jair Bolsonaro, do PSC, tem 12,2%; Marina Silva, 11,6%; Joaquim Barbosa, 7,1; Michel Temer, 4,1%; Ciro Gomes, 3,7 e Álvaro Dias 3%.
Doria também lidera os números entre os próprios pré-candidatos do PSDB, ficando com 32,5%, à frente até do governador e padrinho Alckmin que ficou com 23,6%. Em seguida vem Serra, 10,4% e Aécio com 7,1%.
Outro levantamento da Paraná Pesquisas mostra que Doria tem a aprovação de 70,3% dos moradores da maior cidade do país. A desaprovação fica em 24,4%.
O Instituto também pesquisou na estimulada a intenção de voto para presidente num cenário com o nome do governador Alckmin, que ficaria em primeiro lugar com 24,6% dos votos e Lula em segundo, com 14,5%.
Num cenário com Aécio, o PSDB ficaria em quarto lugar com 11,9%, atrás de Lula, Bolsonaro e Marina.
Mesmo com os números lhe dando larga vantagem sobre opositores e aos companheiros do PSDB, João Doria repete o que fala desde que ganhou a eleição: “Fui eleito prefeito de São Paulo”.
Entretanto, se os números de Doria se repetirem em outras pesquisas e no início do ano que vem, os Tucanos terão que mudar o discurso e apoiar uma eventual candidatura de Doria à presidência de República.
Enquanto isso, Doria segue fazendo o que mais gosta e sabe fazer: marketing dele próprio e de sua gestão.
Mesmo ocupando cargo eletivo de prefeito, continua dizendo “não sou político”. Isso aliado a um discurso diretamente crítico e ácido contra o ex-presidente Lula e o seu partido, o PT.
Doria diz que fica como prefeito. Entretanto, os números dizem o contrário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

completar *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>