Problema social não é caso de polícia

Washington Luiz, político paulista que governou São Paulo e foi o último presidente da chamada ‘República Velha’, dizia que problemas sociais eram casos de polícia. O também paulista e atual presidente da república, Michel Temer, com a intervenção militar no Rio de Janeiro, deixa claro que concorda e segue a determinação de Washington Luiz. Não sou pessimista ao desacreditar que a intervenção militar resolverá o problema da violência urbana carioca. E afirmo isso com base em experiências mundiais. Em outros países do mundo ocidental e capitalista (antes que me acusem de comunista), o combate à violência se deu através de grandes investimentos públicos nas áreas sociais, especialmente educação e cultura. O problema é que o resultado desse tipo de investimento vem em médio ou longo prazo. E este governo que aí está quer resultado imediato, para modificar sua grande rejeição popular, acima de 95%. Teremos eleições em outubro, quando o governo deverá sofrer uma enorme derrota. Por isso, nada melhor do que uma ação midiática para tentar reverter a situação. Esse mesmo governo que congelou os gastos públicos por 20 anos agora informa que investirá na segurança pública. E eu pergunto: com que dinheiro? Afinal, os investimentos estão congelados. Provavelmente, o presidente golpista deverá fazer remanejamentos de outras áreas, o que afetará mais ainda, negativamente, os setores que perderão essas verbas. Quero e torço muito para que possamos viver em uma sociedade sem violência, que não é um problema só do Rio de Janeiro. Mas acredito que a violência é resultado da grande desigualdade social. Só se combate a desigualdade com políticas públicas firmes, que visem melhoras no futuro. E não com ações de marketing político, como essa. Problema social não é caso de policia.

Zoel Garcia Siqueira é professor, formado em Sociologia e diretor financeiro do Sindserv Guarujá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

completar *