Projeto da ponte Santos-Guarujá deve ficar pronto até o fim do ano

Ponte Ecovias (600 x 246)A Ecovias deve concluir o projeto executivo da ponte Santos-Guarujá até novembro, segundo informação de um jornal regional, mas a empresa não confirmou o prazo, apenas confirmou a intenção de entregar o projeto até o fim do ano. Para agilizar a tramitação dos trabalhos, a Ecovias tem encaminhado prévias do projeto executivo à diretoria da Agência Reguladora de Transporte do Estado (Artesp), que distribui as avaliações de cada uma das “disciplinas” previstas na obra para seus especialistas de cada área. Assim, as primeiras avaliações sobre o tipo de pavimento adequado para o tráfego previsto têm caminhado, simultaneamente, com outras análises sobre a geometria e a altura do vão central da ponte, que deverá permitir o tráfego de navios de grande porte, mas não poderá interferir na segurança dos aviões que se dirijam à Base Aérea. Outros pontos específicos, como a drenagem em toda a área que sofrerá a influência da nova ligação seca entre as ilhas de São Vicente (Santos) e de Santo Amaro (Guarujá), já tem estudos prévios sob análise na Artesp. A sondagem de todo o solo no entorno da obra também está em andamento, com detalhes já encaminhados pela Ecovias à Agência Reguladora vinculada ao Governo do Estado. A expectativa é que o detalhamento técnico custe cerca de R$ 100 milhões. Já a obra tem custo estimado em R$ 2 bilhões, segundo avaliações preliminares. Verba Todo o investimento deverá ser feito pela Ecovias, sem custo para o Estado. Em troca, a empresa ganha prazo para continuar explorando o Sistema Anchieta-Imigrantes. O projeto A nova ponte, se sair do papel, em princípio teria 8 Km de extensão e partiria do Km 64 da Rodovia Anchieta até o Km 250 da Rodovia Cônego Domenico Rangoni, passando pela Ilha Barnabé. A altura prevista é de 85 metros, o que ainda é um entrave à execução da obra por estar 10 metros acima da margem de segurança para manobras de avião. A obra pode aumentar a mobilidade dos veículos na região; promover a distribuição e a movimentação de cargas nas áreas próximas do Porto ao facilitar a interligação entre as margens direita e esquerda; desafogar o sistema de balsas e facilitar o trajeto de caminhões que transportam contêineres vazios. ARTESP A Agência de Transporte do Estado de São Paulo informou que recebeu da Ecovias os Estudos de Tráfego e o Projeto Funcional da obra e que as análises internas desta documentação estão em andamento para posterior aprovação do Projeto Executivo. (Com informações do Diário do Litoral).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

completar *