Terracom suspende coleta de lixo por calote da prefeitura

lixo_thiago-ferreira2-600-x-338Os “quatro melhores anos” prometidos pela prefeita Maria Antonieta de Brito no início do seu segundo mandato estão terminando de forma melancólica e, com certeza, não vão deixar saudades. Mais uma vez, toneladas de lixo, empilhadas pelas ruas, avenidas e praias da cidade fazem parte da paisagem, trazendo transtornos e vergonha aos moradores em pleno início do feriado prolongado quando são esperados milhares de veranistas e turistas.

Falta de pagamento
A Terracom , empresa responsável, entre outros serviços, pelo recolhimento do lixo em Guarujá e no Distrito de Vicente de Carvalho suspendeu o trabalho na quarta-feira (9), por conta da falta de pagamentos das faturas relacionadas aos serviços já ­executados por parte da Prefeitura. A paralisação deve levar uma ­semana.
A empresa notificou a Prefeitura conforme estabelece a lei informando sobre a suspensão da execução do contrato e aguarda agora o posicionamento da Prefeitura e pagamentos da faturas em aberto. O serviço recolhe, transporta e dá destino final a uma média de 360 toneladas de resíduos por dia.

Bom senso
A Prefeitura, por intermédio da Secretaria de Finanças, informou ontem que desde a paralisação do serviço tem chamado a Terracom para dialogar, apelando para o bom senso da empresa, para que as pessoas não sejam penalizadas com a ausência deste serviço essencial.
A Prefeitura entende que a paralisação por uma semana é injustificada, em meio ao feriado, prejudicando moradores e turistas, tendo em vista que sempre envidou esforços e cumpriu o que foi acordado com a empresa.

Críticas
Valquiria Molles, 71 anos, é aposentada e mora com o marido, também aposentado, na Rua Mário Ribeiro, disse a nossa reportagem que tem vergonha dos outros proprietários de apartamentos no seu prédio que estão chegando para o feriado e mal conseguem entrar na garagem com tantos sacos de lixo na calçada. “Eles estão tirando fotos e postando nas redes sociais. Guarujá virou motivo de piada”, afirma.
Antônio Teles, 50 anos, é zelador de um condomínio na Enseada e lembra que já viu esse filme. “Em agosto de 2015 foi a mesma coisa, ficamos uma semana sem coleta de lixo. Como o prédio é baixo, as pessoas tiveram que ficar com as janelas fechadas por causa do mau cheiro e a garagem ficou cheia de baratas e até ratos apareceram”, lamenta.
O engenheiro industrial Justino Koch, proprietário de um imóvel no prédio ao lado diz que se soubesse que a situação estava tão ruim teria ficado em sua cidade, São José dos Campos. “Sai com a família na hora do almoço para tentar ainda chegar a tempo de ir à praia dar uma caminhada, mas o cheiro do lixo está muito forte e o calçadão cheio de sacos pretos. Vou pensar seriamente em me desfazer desse apartamento e comprar alguma coisa no Litoral Norte. Não bastavam os assaltos e os buracos, agora mais essa…”
Conversamos também com um comerciante da Avenida Thiago Ferreira, que não quis se identificar, que criticou duramente a Terracom: “Se eu fosse o novo prefeito, a primeira coisa que eu faria seria tirar essa empresa de lixo. Ela não é parceira. Pode até estar certa em cobrar a prefeitura, mas parar o serviço na véspera de um feriado é falta de comprometimento com a cidade. Hoje, por causa do lixo na calçada da frente da loja, o movimento caiu bastante.”

Liminar
No fechamento desta edição, a Prefeitura de Guarujá divulgou nota dando conta que conquistou, na tarde desta sexta-feira (11), liminar do juiz de Direito da Vara da Fazenda Pública do Foro de Guarujá, Doutor Cândido Alexandre Munhoz Pérez, determinando o restabelecimento imediato do serviço de coleta de lixo, sob pena de multa diária de R$ 100 mil, garantindo, desta forma, a retomada da coleta de lixo, paralisada sem prévio aviso e de forma injustificada pela empresa responsável pela limpeza urbana, na última quarta-feira (9).
Antes de ingressar com a liminar, a Prefeitura de Guarujá, ainda conforme a nota, tentou dialogar com a empresa, solicitando que a mesma não parasse este serviço essencial, o que acabou não ocorrendo.
A Advocacia Geral do Município (AGM) reafirma que a Prefeitura não está em débito há mais de 90 dias com a empresa de coleta de lixo que presta serviço na Cidade, conforme alegação da mesma.
Diante da crise financeira que afeta todos os municípios (e com Guarujá não é diferente), a Prefeitura vem cumprindo rigorosamente, desde junho, o pagamento do acordo de ajustes de serviços de coleta de lixo, juntamente com uma fatura por mês.
Com as greves dos bancos em setembro, a arrecadação não foi suficiente para concluir o pagamento integral de uma fatura no valor de R$ 5.200.000 naquele momento, faltando R$ 1.100.000. Este valor foi pago nesta semana, sendo pago R$ 500 mil na quarta-feira (9), completando o pagamento com R$ 600 mil na quinta-feira (10).
A Administração reafirma o compromisso de que, neste mês de novembro, será paga, integralmente, uma fatura no valor de R$ 4.600.000, com a entrada de IPTU e ISS, a ser disponibilizado para a Prefeitura na próxima quarta-feira (16).
A Prefeitura reafirma que a paralisação da coleta de lixo é indevida e lesiva, prejudicando moradores e turistas, o que se agravaria com a chegada do feriado prolongado.
Desta forma, a Administração Municipal reforça que sempre envidou esforços e cumpriu o que foi acordado com a empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

completar *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>