Virada do ano é marcada por violência

guaruja_sede-600-x-450A passagem de ano em Guarujá foi marcada por arrastão na Praia da Enseada, com três presos, e quatro jovens baleados em mais duas ocorrências. Estes e outros casos deixaram lotado o plantão da Delegacia do Município, provocando lentidão em seus registros.
Três dos feridos haviam disparado na direção de policiais militares, que revidaram e os atingiram. O outro portava uma arma de brinquedo e, após assaltar uma turista, a apontou para um sargento da Polícia Militar, que o baleou.
Policiais que atuam na Operação Verão faziam patrulhamento a pé pela faixa de areia da Praia da Enseada, quando começaram a escutar gritos de “é assalto, é arrastão”, por volta da 1h30 de domingo (1º).
No meio da multidão que se aglomerava no local, eles viram pelo menos oito rapazes correndo e os perseguiram, capturando três. Na Delegacia de Guarujá, o trio foi reconhecido por três vítimas como integrante do grupo que promovia o arrastão na praia.
Um dos acusados, de 21 anos, portava uma arma de brinquedo. Outro, de 24, levava o celular de uma das vítimas. O terceiro é um adolescente, de 16, que também portava um celular roubado, mas em outra ocasião.
Com exceção de uma vítima, que reside em Guarujá, as demais são turistas dos municípios de Ubá (MG) e Colorado (PR).

Três baleados
Dois soldados em bicicletas passavam pela esquina da Avenida São Jorge com a Rua João Couto Lemos, no Pae Cará, em Vicente de Carvalho, quando por eles passaram quatro rapazes em duas motos, uma das quais sem placa. Os quatro jovens estavam sem capacete e um deles disparou na direção dos PMs, motivando o revide. Os policiais não foram atingidos e, após revidarem com um disparo, solicitaram apoio a outros colegas, porque os quatro acusados fugiram.
Posteriormente, nas imediações, dois deles foram detidos baleados, respectivamente, no ombro direito e na mão direita. Suspeita-se que a mesma bala os tenha acertado. Na iminência de ser alcançado, um deles atirou na direção de outros policiais, sem acertá-los e sendo atingido na perna esquerda.
Todos foram autuados em flagrante. Internados sob escolta policial, eles serão recolhidos à cadeia quando receberem alta. As armas que eles portavam não foram achadas, sendo apreendidas as duas motos.

Roubo e tiro na coxa
Outra dupla, um homem, de 21 anos, e um adolescente, de 16, roubaram o celular e o relógio de uma turista de Rio Claro (SP), na Rua Bacharel Alaor Leite do Amaral, no Jardim Virgínia.
Com a chegada de policiais militares, os acusados correram para direções diferentes, sendo alcançados momentos depois. Ao ser abordado, o homem sacou uma arma de fogo da cintura, sendo baleado na coxa direita por um sargento.
Após o disparo, o policial constatou que a arma era de brinquedo. Os objetos roubados da turista não foram recuperados.

Com cadeiras de praia
Apesar do grande movimento de banhistas na Praia das Pitangueiras na tarde de segunda-feira (2), sete ladrões não viram qualquer empecilho para assaltar na faixa de areia uma família (dois casais), que estava com um bebê de apenas dez meses.
A criança dormia sobre uma canga e estava com os pais – um administrador financeiro e uma jornalista – e os avós maternos. De repente, se aproximaram os assaltantes, dos quais três portavam cadeiras de plástico e as usaram para se sentar ao lado da família, como se fizessem parte dela.
Os outro quatro marginais ficaram dando cobertura atrás do pai do bebê. Segundo o administrador financeiro, mesmo com a estratégia de não chamar a atenção, os marginais não foram totalmente discretos. “As pessoas se sentiram acuadas e não falaram nada, porque deu para perceber”.
Os ladrões não só anunciaram assalto, como também vasculharam as bolsas que estavam com a família. Como forma de intimidar ainda mais, um dos marginais que se sentou na cadeira de plástico colocou o pé na canga, próximo à cabeça do bebê. A criança continuou dormindo.
Embora afirmassem que estavam armados, os assaltantes não chegaram a exibir armas. Eles fugiram levando joias (brincos, anel, aliança e pulseiras) avaliadas em cerca de R$ 7 mil, três celulares e óculos de sol. A equipe do delegado Estevam Gabriel Urso registrou o caso. (Foto: G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

completar *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>