Zona Azul deve ser implantada ainda este ano

Rodrigo Beccari (600 x 599)A afirmação é do diretor de Trânsito e Transporte, Rodrigo Fonseca Beccari, que conversou com a nossa reportagem sobre essa antiga reivindicação dos comerciantes de Guarujá e Vicente de Carvalho e também sobre as ações realizadas nos dez meses que está à frente da DITRAN e os projetos que estão que estão sendo implementados na cidade. Sinalização Nesses dez meses, conseguimos avançar bastante no DITRAN retomando alguns contratos que estavam pendentes para podermos fazer os serviços, como por exemplo, a sinalização viária que foi um processo bem lento que deu bastante trabalho para a administração conseguir viabilizar. Este processo de licitação foi iniciado em março de 2018. Ficamos sem contrato de sinalização do final de 2016 e 2017 inteiro, durante esse período, nenhum serviço de sinalização viária foi executado na cidade. Estamos retomando este trabalho aos poucos. No período que antecedeu ao mês de julho, preparamos parte da orla da praia para receber os turistas que procuram a cidade na temporada de inverno. Agora estamos sinalizando as principais vias de Vicente de Carvalho, a Rua São Paulo, Avenida Thiago Ferreira, depois iremos entrar na Avenida Santos Dumont. Temos demandas também na Avenida Dom Pedro, na Enseada, onde a sinalização está muito ruim e depois começaremos a ir para os bairros. Zona Azul A administração conseguiu adequar algumas pendências que o Tribunal de Contas apontou no processo para implantação da Zona Azul que já existia. O Edital foi lançado e cancelado diversas vezes. Hoje, já foram habilitadas de cinco a seis empresas, agora tem um prazo de recurso, mas o processo para a concessão do serviço já está em estágio bem adiantado. Acho que este ano ainda, conseguimos ter a Zona Azul. Lombofaixa Guarujá foi contemplado, no ano passado, pelo Detran, com uma verba destinada à algumas intervenções no sistema viário, uma delas é a instalação de lombofaixas em pontos pré-determinados, com base em estatísticas de acidentes. Acredito que no máximo, em dez dias já estaremos colocando as lombofaixas, que nada mais são do que o nome técnico para a faixa elevada de travessia de pedestres, semelhante as que existem na Avenida Osvaldo Cruz, em Vicente de Carvalho Lombadas eletrônicas A lombada eletrônica tem o mesmo princípio técnico do radar, mas a vantagem é que nos permite colocar uma velocidade, para o trecho onde é instalada, inferior ao restante da via, como no caso da Avenida Santos Dumont, em frente à Rodoviária, onde existe um número grande de pedestres atravessando. A velocidade na avenida é de 50 km por hora, naquele trecho especifico, cai para 30km por hora, ou seja, é uma lombada eletrônica, não existem um dispositivo fixo que obrigue o veículo a reduzir a velocidade, nos demais pontos da cidade onde vamos colocar não vai ser esse caso, vai registrar a velocidade da via, como na Alameda das Tulipas, que é um ponto que tem muitas solicitações de munícipes para que se coloque lombadas físicas, que não pode ser colocada naquele local, por uma resolução do DENATRAN. O mesmo caso da Alameda das Margaridas e da Avenida Marjorie Prado, na Praia do Pernambuco, que também terão esse dispositivo implantado. Pátios O pátio municipal está com a sua capacidade no limite. Já existe um processo tramitando para a implantação de um modelo de concessão onde uma empresa privada faria a exploração do serviço de pátio e guincho. Hoje só temos o pátio do Guaibê. O pátio do Santa Rosa está sendo desativado, os veículos que estão lá vão ser retirados, estamos tentando viabilizar um outro terreno para colocar esses veículos enquanto não se conclui esse processo da concessão do serviço de pátio e guincho. Radares móveis Na verdade o radar estático, esse é o nome técnico, já que ele não está em veículo em movimento, está sendo colocado em pontos que têm pedidos de colocação de lombadas, de redução de velocidade na via. O equipamento fica em uma determinada via e pode mudar, pois é um dispositivo que pode atender mais de um ponto. Infelizmente temos acompanhado as estatísticas de acidentes de trânsito e os óbitos, todos eles, estão de uma forma ou de outra, ligados ao excesso de velocidade. A velocidade excessiva é o que mata. Nenhuma via que estamos colocando o dispositivo está sem sinalização da velocidade máxima permitida. O radar não fica escondido, tem uma sinalização, embora não seja mais obrigatório, mas mantemos que aquela via é fiscalizada eletronicamente para tentar conscientizar o condutor e o condutor que obedece a sinalização não tem com o que se preocupar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

completar *